quarta-feira, 29 de maio de 2013

Lembrança da participação da F.E.B na Itália

Lembranças da participação da FEB na Segunda Guerra Mundial, trazida da Itália pelo 2º Tenente Felix Bartholini Cáccavo no seu regresso ao Brasil.Doação da D. Ivone  esposa do Coronel Félix uma grande amiga e incentivadora da divulgação da memória da FEB, muito obrigado.
Campanha da Itália
1944-1945
Cemitério dos Brasileiros em Pistoia
FRENTE

VERSO
Itália - 1944-1945
Cemitério  de Pistoia (Firense) brasileiros, onde repousam os nossos heróis que tombaram  em holocausto à Pátria e que lutaram pela liberdade dos povos, na 2ª Grande Guerra Mundial.

Recordação do navio transporte de tropas brasileiras General Meigs 
17-IX-945
FRENTE

VERSO
Lembrança da 2ª Guerra Mundial navio americano que transportava tropas brasileiras do Brasil via Itália (Mapoles) 1944-1945
clique na foto para ampliar

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Nossa Senhora Aparecida Mutilada - F.E.B.

Imagem que acompanhou o Regimento Sampaio na campanha da Itália na Segunda Guerra Mundial  durante o ataque ao Monte Castelo  no P.C .II BLT em Cruciale em 19- 2 -1945.A imagem e venerada  na Igreja Castrense de Deodoro-Rio.O santinho original e raro pós guerra da década de 40 contem a oração em que os soldados rezavam para Nossa Senhora Aparecida.
(acervo O Resgate FEB)
clique na foto para ampliar

domingo, 19 de maio de 2013

Soldado da F.E.B

Montagem de um soldado da FEB usando um manequim, todos os itens são originais os mesmos usado por eles na Segunda Guerra.A calça do uniforme Ike jacket (1944 US) só para compor o modelo, já que não faz parte do uniforme de campanha.
(acervo O Resgate FEB)
Algumas peças brasileiras e outras fornecidas pelos americanos.
Itens brasileiros
Cinto "NA" onde estão fixados o coldre de lona, o cantil de rolha, e o porta curativo individual bem atrás, pulseira da infantaria no braço esquerdo, Patch do 5º exercito americano feito em Nápoles, divisa de sargento, a Cobra Fumando de lata feito em Nápoles no final da guerra e dogtag (EUB).
Itens americanos
Capacete completo M 1, jaqueta de combate M 41, Luvas de lã com palmas de couro, gorro wool kint cap debaixo do capacete, faca de trincheira M 3, calça de la de passeio (ike Jacket) e bota over shoes impermeável de inverno.
clique na foto para ampliar

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Antônio Moreira Ferreira - Veterano da Marinha de Guerra do Brasil - Força Naval do Nordeste



Antônio do Lajedinho. Foi duas vezes naufrago.Devido ao torpedeamentos dos alemães.

Antônio Moreira Ferreira  nasceu em Feira de Santana ,Bahia em 6 de dezembro de 1925. Ex Combatente, serviu a Marinha na Segunda Guerra Mundial, foi condecorado e em seguida passou a trabalhar como jornalista nos periódicos O Mundo e O Careta e foi redator da Revista Vigilante. Participou de quatorze antologias e publicou oito livros, inclusos dois de poemas.
Vida

Nasceu em Feira de Santana ano de 1925, filho de Francisco Ferreira da Silva e Zilda Moreira Ferreira. Cursou o primário na Escola Normal Rural daquela cidade. Em Janeiro de 1942 ingressou na Marinha de Guerra Brasileira, onde participou ativamente de operações de guerra, sendo condecorado por serviços prestados á pátria e pensionado como segundo tenente das Forças Armadas do Brasil. Foi jornalista profissional e advogado atuante nas comarcas de Irecê,Morro do Chapéu, Central e Xique- Xique e juiz da cidade de América Dourada. Recebeu em Barra do Mendes o Título de Cidadão Barramendense e do Exercito Brasileiro o Diploma de Amigo do 35 BI, além das comendas Maria Quitéria, Godofredo Filho pela Câmara Municipal de Feira de Santana e Honraria no grau de Oficial da Ordem Municipal do Mérito de Feira de Santana. Poeta e Cronista é membro do Instituto Histórico e Geográfico de Feira de Santana,Instituto Internacional da Poesia,União Brasileira de Escritores e da Academia Feirense de Letras na qual exerce a função de Diretor de Biblioteca.
Realizações
Sempre antenado com a política levou grandes benefícios através das suas influências às cidades de Barra dos Mendes, América Dourada e ao povoado do Spinola onde passa alguns anos se dedicando á sua fazenda. Foi entusiasta da doação do prédio da Associação dos Ex-Combatentes de Feira de Santana á Universidade Federal de Feira de Santana, transmissão de posse que se concretizou no ano de 2012 e que resultará na construção de um museu e um memorial da segunda Guerra Mundial no prédio que passou a ser utilizado pela UEFS
Obras
  • Promessas e Milagres, Barra dos Mendes, 1922
  • Síntese dos Fatos que Envolveram o Brasil na Segunda Guerra, Feira de Santana, 1997
  • Reflexões Sobre o Amor, Feira de Santana, 2000
  • Ressaca da Mocidade, Feira de Santana , 2002
  • Cantando Pelo Caminho,  Feira de Santana , 2003
  • A Feira na Década de 30, Feira de Santana , 2004
  • A Feira no Século XX, Feira de Santana 2007
  • Um Marinheiro do Brasil na Segunda Guerra Mundial - Verdades que a História ainda omite,Feira de Santana, 2012
Matéria enviada por Rodrigo Ubiratam

terça-feira, 14 de maio de 2013

Tarde de autógrafos do Livro “Histórias de um Pracinha da Segunda Guerra Mundial – Memórias do meu pai”


No dia 11 de Maio de 2013 foi realizada à tarde de autógrafos do livro História de um Pracinha da Segunda Guerra Mundial – Memórias do meu pai, com a autora Maria Isalete de Britto Leal e o veterano Francisco Conceição Leal (Cabo Leal).
O evento foi realizado na Associação dos Ex-Combatentes do Brasil – seção Valença – RJ.
Uma tarde agradável com muitas alegrias e emoções e o reencontro com parentes e amigos. O evento contou com a presença dos Veteranos da cidade, parentes dos veteranos, representante do 1Esqd C L, Membros da Academia Valenciana de Letras, Parentes da autora e amigos de longa data do seu pai, Representante da Câmara dos vereadores, Secretária Elen da Associação de Valença, Filhos e esposas de veteranos já falecidos, Ex-Combatente Humberto Murat Submarinista e o Ex-Combatente Maj. Paraquedista Paulo de Araújo Lima secretário e presidente da seção Valença.
Durante o evento a Associação conferiu a autora o certificado de significativo apoio a manutenção da memória dos Ex-Combatentes do Brasil.
O livro conta histórias verídicas de um veterano da Segunda Guerra Mundial. Histórias que ele sempre contou e outras que após muitos anos resolveu a contar.
Um livro com palavras simples, que não narra as estratégias da Segunda Guerra Mundial, não entra no mérito das batalhas. Porém, faz um breve comentário de algumas batalhas que participou.
         Conteúdo rico em histórias reais. Passando os sentimentos de angústias, tristezas, alegrias e esperança de voltar. Contribuindo para um mundo livre e melhor.
         Com fatos marcantes em sua vida e em sua memória. Fatos que vivenciou bem de perto. Que hoje são marcas em sua mente e em seu físico. Histórias vividas por ele e seus companheiros, mais próximos. Histórias tristes que deixarão muitos a pensar e também as que darão boas risadas. Histórias de companheiros que partiram durante o conflito e de companheiros que fizeram parte do seu convívio no pós-guerra, que deixaram saudades.
         Está registrado no livro todo o acervo que guardou, podendo ver a farda, cartas, telegramas e objetos usados por ele durante a campanha na Itália.
 A escritora Maria Isalete de Brito Leal
Maria Isalete com seu pai Ex-combatente da FEB Francisco Conceição Leal
Panorama da tarde de autógrafos

Revista da Vitória dos aliados editada pela F.E.B

 Raríssima Revista da Vitória"E a cobra fumou!" editada e impressa na Itália pelo 6º Regimento de Infantaria da FEB, comemorando a vitória dos aliados na Segunda Guerra Mundial.A capa e um poster do desenho original do Sargento Catani.Triagem desta edição de 5.000 exemplares.
 (acervo O Resgate FEB)
Desenho original do Sargento Catani (Itália)
Homenagem aos mortos  e desaparecidos em combate

clique na foto para ampliar

sexta-feira, 10 de maio de 2013

Sargento da F.E.B Severino Francisco de Oliveira

No dia 8 de maio de 2013 onde comemorou o DIA DA VITORIA dos aliados na Segunda Guerra Mundial tive a honra de acompanhar desde o inicio da solenidade e passar uma hora do seu lado enquanto esperava sua esposa, sempre muito alegre de uma memória fantástica e muito espirituoso. Sobre a guerra relatou os horrores. E natural de Natal (Rio Grande do Norte) onde serviu com os americanos na Base de Panamerim antes de embarcar como sargento no 1º escalão.Reparei alem das varias medalhas tinha a Sangue do Brasil Cruz de Combate prata, relatou como era a base com os americanos em Natal. Sabia ainda como utilizar os armamentos expostos no BGP.O nome deste herói e SEVERINO FRANCISCO DE OLIVEIRA uma simpatia e um carisma muito grande. BRAVO SOLDADO DA FEB, SALVE....
Mossa homenagem e agradecimento

Severino no Dia da Vitoria de 2013 em Brasilia 
O Veterano Severino Francisco de Oliveira, hoje com  93 anos, traz viva na lembrança a madrugada gelada do dia 21 de fevereiro de 1945.  Era 2º sargento da 1ª Divisão de Infantaria da FEB. Fazia 15 graus Celsius negativos na base do Monte Castelo, na Itália. Ele esperava havia duas semanas por uma ordem do V Exército dos Estados Unidos para participar de mais uma ofensiva contra a linha de fogo do inimigo no topo do monte. Nas tentativas anteriores 190 brasileiros haviam morrido sem sequer chegar à metade da elevação.O Exército brasileiro foi vitorioso! Esse notável senhor é dono de fala fluente  e curiosa redação, trazendo significativo  dom  para enaltecer os feitos de seus companheiros em suas despedidas desse mundo.
Foto do acampamento em Francolise-Itália. Severino está ao centro entre os companheiros: João Emídio e Luiz, Eleutério. 
 Estudioso, espiritualista, usa o esperanto para comunicar belas oratórias ao seleto grupo de “campanha”.
 Permanece apaixonado pela vida, tanto que não temeu  aos  80 anos  viver uma nova história de amor, após sua viuvez.
Honra merecida
O reconhecimento e o carisma chamaram atenção  das alumas do Colégio Militar de Brasília onde ficaram bons minutos atento ao que falava.
Foto Henrique Moura
O Resgate FEB

quarta-feira, 8 de maio de 2013

Dia da Vitória - 8 de maio de 1945


O DIA DA VITÓRIA
 8  DE  MAIO DE 1945


Há exatamente 68 anos no dia de hoje, as forças aliadas que combateram contra o nazi-fascismo durante a 2ª Guerra Mundial, faziam ruir por terra as armas do eixo- Berlim-Roma- Tóquio, dando fim de uma guerra que iniciara em 1939. No maior conflito mundial ocorrido em época contemporânea, a participação brasileira com a Força Expedicionária Brasileira foi modelar, elogiada pelo V Exército Americano e cumpriu o seu papel na defesa das liberdades.
Da peculiar neutralidade que tem orientado a política externa brasileira, o ritmo da guerra vai exigindo uma participação mais atuante do governo. Nesta fase a história registra uma intrincada política de bastidores, que envolvia interesses pró germanófilos, com simpatizantes no alto escalão do governo e militares simpatizantes da máquina de guerra alemã. Do outro lado estavam os americanófobos, conduzidos pelo ministro das relações exteriores Osvaldo Aranha.
Em jogo estavam as necessidades do país, no que diz respeito a premente necessidade de equipar o exército com novos armamentos e a construção de uma usina siderúrgica para atender a demanda industrial. No choque de interesses, o atraso dos preparativos e do embarque da FEB para a Itália, acabaram criando indecisões, que deram origem ao célebre slogam “É mais fácil uma cobra fumar do que o Brasil ir para a guerra”.
Solenidade do dia da Vitória em Brasília no BGP ( Batalhão de Guarda Presidencial ) com presença e vários pracimhas da FEB.


Itens do acervo do BGP (Brasília)
Clique na foto para ampliar
Fotos Henrique Moura
O Resgate FEB

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Jornal Regimento Sampaio - F.E.B.

Raro jornal onde os soldados da FEB recebiam notícias sobre a guerra e informativos editado e impresso na Itália pelo Regimento Sampaio, durante a campanha da FEB. Edição nº24 de 9 de fevereiro de 1945.
(acervo O Resgate FEB)
clique na foto para ampliar