quarta-feira, 3 de outubro de 2012

FRANCISCO CONCEIÇÃO LEAL (CABO LEAL)

                                 
           Nasceu na cidade de Valença no Estado do Rio. Alistou-se no “Tiro de Guerra 551”, que logo foi extinto, por isso permaneceu nele poucos dias.
          Com a extinção do Tiro de Guerra, foi transferido para o Batalhão de Saúde Expedicionário, que anteriormente chamava-se 1Formação Sanitária, também não ficando por muito tempo, pois já estava completo todo o contingente necessário. O Batalhão de Saúde Expedicionário se organizou na sede municipal e foi lutar na Segunda Guerra Mundial em 1944, fazendo parte da Força Expedicionária Brasileira, nos campos da Itália.
          Com as mudanças, foi transferido para o Regimento Andrade Neves, na Vila Militar na Cidade do Rio de Janeiro, onde fez o curso de Cabo. Foi nesse regimento que recebeu a convocação para participar da Segunda Guerra Mundial.
           Embarcou no dia 22 de setembro de 1944, com 23 anos, no 3º Escalão, no navio de transporte de tropas da Marinha Norte Americana, General Meigs, sob o comando do General Olímpyo Falconière da Cunha. Formando um comboio com o 2o Escalão, que embarcou no navio General Mann sob o comando do General Oswaldo Cordeiro de Farias, chegou a Nápoles no dia 6 de outubro de 1944, com um efetivo de 5.239 homens, inclusive 318 oficiais, sendo que contando com o 2o Escalão, formava um comboio de 10.375 homens.
          O 3Escalão era composto do 11o Regimento de Infantaria (RI), I/1oRegimento de Obuses Auto-Rebocados (ROAuR), I/1o Regimento de Artilharia Pesada Curta (RAPC), 9o Batalhão de Engenharia (BE) (Comando e Cia. de Serviço, Destacamento de Saúde e 3a Cia.), Esquadra de Ligação e Observação, 1o Batalhão de Saúde (Destacamento de Comando, Pelotão de Tratamentos e 3a Cia. de Evacuação), Elementos da1a Cia. de Intendência, Quartel-General da 1a DIE e Cia. do QG, Depósito de     Intendência, Banda de Música, 1o Grupo Suplementar Brasileiro.
          Sua atuação foi na linha de frente na Artilharia Divisionária.
          Chegando lá, depois que passou pelo Depósito de Pessoal, foi designado para o Depósito de Intendência, por um pequeno período, para substituição na função de motorista. Em seguida, foi para o Elemento não Divisionário no 1oBatalhão, na 4a Companhia, passando pelo 2º Batalhão na 5a e 7a Companhia. E finalmente foi designado para a Artilharia Divisionária no III Grupo 105 no 1/2o Regimento de Obuses Auto-Rebocado permanecendo até o fim da guerra. Fez parte na Ligação Telefônica entre a linha de frente e a retaguarda e grupos de reconhecimentos e patrulhas.
          O 1o do 2o Regimento de Obuses 105 Auto-Rebocado (1o/2o RO105 AuR– ”III Grupo da Força Expedicionária Brasileira – Grupo Souza Carvalho”, atualmente 20o Grupo de Artilharia de Campanha Leve.
          No dia 11 de agosto de 1945, entrou no navio norte americano S.S.Mariposa, comemorando duas datas de grande significado em sua vida, seu aniversário e a volta para a sua pátria, tendo como comandante o Gen.Cordeiro de Faria. 
Foto de estúdio
Foto na Torre de Pisa
Diploma da Medalha de Campanha
Capa da revista Noite Ilustrada onde aparece em destaque no convés do Navio Mariposa no regresso ao Brasil.
 Colaboração para o blog O Resgate FEB  da Maria  Isalete de Britto Leal filha do Cabo Leal.

2 comentários:

  1. Henrique, teu blog é uma boa surpresa, pois ainda não tinha visto na blogosfera algo semelhante.
    Uma justa homenagem aos pracinhas brasileiros, estes sim, que honraram as cores do Brasil, em prol da liberdade de um povo massacrado, nossos irmãos judeus.
    Já estou segundo o blog.
    Parabéns, um fraterno abraço.

    ResponderExcluir
  2. Sábado, dia 11 de maio, às 15h, a autora de "HISTÓRIAS DE UM PRACINHA DA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL", Maria Isalete de um Pracinha da Segunda Guerra Mundial fará uma tarde de autógrafos na Associação dos Ex-Combatentes do Brasil - Seção Valença, situada na Rua Dom André Arcoverde, nº 314, Centro, Valença-RJ.

    ResponderExcluir