quinta-feira, 5 de abril de 2012

PIN FASCISTA - WW II.

Pequeno Pin de lapela do PNF que quer dizer Partito Nazionale Fascista. Este era o único partido político da época por vinte anos. O feixe de galhos no meio do pin, que dá o nome ao Fascismo, é de origem romana. De fato, a primeira célula do Fascismo foram exatamente os "Fasci di Combatimento" (feixes de combate), daqui o nome de partido fascista. Mussolini, reintroduzindo a simbologia do impero romano, queria renovar o espírito da grandeza de Roma no povo italiano.
Na antiga Roma os feixes eram levados pelos littorii, que eram os guarda-costas dos magistrados. Maior o grau do magistrado, maior o número de littorii. O machado era colocado no feixe e não raramente era usado como arma para aplicar penas capitais. Era assim um símbolo da capacidade do estado em punir. Somente o ditador, ao qual se davam plenos poderes em situações de perigo da Urbe, podia levar o machado dentro das cidades.
O feixe é sinônimo da força, da unidade. Unidade entre trabalhadores e empresários, não em lutas para defender os interesses individuais, mas unidos num único escopo: o bem estar social e a grandeza da nação. O Fascismo opugnava-se então ao capitalismo e às plutocracias ocidentais assim como ao comunismo russo. Uma ideologia que, aqui no Brasil, teve em Getúlio Vargas, como seu Estado Novo, um grande seguidor.
Observa-se que este pin, ao contrário de outros, não apresenta a cor azul da casa Savóia dos reis da Itália, talvez para demonstrar certa autonomia do chefe do governo diante do rei. Estranha história essa da cor azul! A Seleção italiana, bicampeã do mundo, nos tempos de Mussolini, tinha o uniforme preto. Depois da caída da monarquia por meio de referendum, e exilado o rei, resolveu-se dar a cor azul da casa Savóia aos uniformes dos jogadores italianos ... Como dizia Mussolini "governar os italianos não é difícil, é inútil!"
(acervo O Resgate FEB)
Texto: Marco de Vito.

Tem a  inscrição Nápoles no verso.
(clique na foto para ampliar)

Nenhum comentário:

Postar um comentário